Snake & Snail

CRÓNICA 59

MAI E PÃE O pai que eu gostaria de ser não se define pelo género, pela sua supostamente intrínseca masculinidade, ou por um jogo de papéis supostamente complementares entre masculino e feminino. Não me interessa nada ser um pai especializado... | >>>>>

CRÓNICA 58

UM AR FRIO Cemitério dos Olivais, Lisboa. Enterramos um tio muito querido de todos. Sobre as emoções privadas, a privacidade é a melhor escolha, simultaneamente a mais digna e com mais pudor. Mas há uma zona cinzenta, aquela em que... | >>>>>

CRÓNICA 57

#YouToo? As campanhas americanas de moralização dos comportamentos – daqueles que revelam desigualdades e opressões – tendem muitas vezes a resvalar para o moralismo e a caça às bruxas em nome da liberdade? Sim. As reações francesas aos movimentos igualitários,... | >>>>>

ANO NOVO EM REDE

ANO NOVO EM REDE No anos noventa escrevia uma crónica semanal, aos domingos, no Público. Era o tempo, ainda, dos jornais – e das “crónicas”. Entre o tempo dos jornais e das crónicas, e o tempo dos blogues, e tendo... | >>>>>

A SEMANA (5 janeiro 2018)

POLÍTICA 1 – Do caso do financiamento dos partidos sai toda a gente mal. E sai a demagogia anti-partidos reforçada. Não foi ele quem começou, é certo, mas na trapalhada incluo o Presidente. 2 – O texto de Helena Roseta... | >>>>>

CRÓNICA 56

O TRUQUE E A ESPARRELA Durante muito tempo, os sectores mais conservadores, sobretudo ligados ao pensamento da igreja católica, afirmavam que a diferença sexual, da ordem da natureza, era determinante e suficiente para definir os destinos de homens e mulheres... | >>>>>

CRÓNICA 55

OS NOSSOS NEGROS A sociedade americana e os seus criadores têm refletido tanto (e tão bem) sobre o racismo ou a herança da Escravatura, que em países onde tal não é feito – como Portugal – muita gente identifica racismo... | >>>>>

ARQUIVO | archive