Blog

CRÓNICA 38

Esquece o Kipling. Conselhos dum pai ou duma mãe a uma filha ou um filho.

  1. Assim que puderes sai de casa. Experimenta viver com amigos e depois na tua própria casa. Só tua mesmo. Pode acontecer diferente, claro, mas percebes a ideia?
  2. Viaja o mais possível. Aprende línguas – mais do que uma é melhor ainda.
  3. Arranja empregos de verão para pagar os extras: uma viagem, a carta de condução, coisas assim.
  4. As pessoas são boas até prova em contrário. Não o contrário.
  5. Sê cortês, mas não te preocupes em ser popular. Arranja é amigos para a vida. E desenvolve o sentido de humor, tipo muito.
  6. Sê sexualmente livre. O único limite é não abusares de ninguém. O resto é treta.
  7. Sê preconceituosa só em relação ao preconceito.
  8. Se tiveres um talento, não o desperdices. Se achares que não tens, tenta, que descobres. Não tem de ser grandioso.
  9. Nunca te deixes ficar num trabalho de que não gostes. Se for preciso a gente ajuda temporariamente.
  10. Cuida das pessoas de quem gostas. Isso inclui-nos, OK? (Quer dizer, espero que sim)
  11. Se gostares de participar em lutas por causas, avança. Poucas coisas satisfazem tanto.
  12. Nunca tenhas certezas em relação a coisa nenhuma. Exceto na amizade ou quando te apaixonares. (Ah, apaixona-te. Se acontecer só uma ou duas vezes, no problem, é precioso)
  13. Já agora: se conseguires, apaixona-te por pessoas com quem possas manter um laço para sempre, mesmo que já não estejas com elas.
  14. Vai ao Google ver o que quer dizer “A regra de ouro”.
  15. Dança muito.
  16. Concentra-te, faz uma coisa de cada vez, esforça-te, faz até ao fim, e a tempo.
  17. Evita dizer “fica mal”, “é mesmo assim” ou “é o que toda a gente faz”. Quer dizer, duvida disso primeiro, mesmo que acabe por ser verdade num ou noutro caso concreto.
  18. Sê inteira e transparente. Não te sei explicar isso, mas vais perceber, espero.
  19. Sê racional e deixa-te encantar pelo conhecimento. Depois, se quiseres, podes fazer de deus ou dos deuses uma metáfora, mas não deixes a coisa ir demasiado longe (pronto, se calhar estou a meter-me onde não devo)
  20. Ninguém é obrigado a ter filhos. Se os tiveres, cuida deles, passa-lhes isto e acrescenta o que tiveres descoberto e o que esqueci, que esqueço-me sempre de alguma coisa.

This Post Has 0 Comments

Leave A Reply