Snake & Snail

CRÓNICA, 23

Caro/a Deputado/a, Gostaria de lhe transmitir a minha opinião sobre a votação dos projetos relativos à matéria de adoção, que terá lugar no dia 17 de maio, e de fazer-lhe um apelo. Em 2009-2011 fui deputado à Assembleia da República…

CRÓNICA, 22,5

Hoje é a sexta-feira santa da Páscoa católica e estou em Lisboa. Segunda é o último dia do Pessah judeu e estarei em Jerusalém. Pelo que. Sinto-me bem assim e sempre fui assim, “de origem”: agnóstico – “one who is not…

CRÓNICA, 22

A EUROPA MORREU E EU AMO AS AMÉRICAS E NÃO SEI SE FIQUE TRISTE OU FELIZ O estereótipo dita que o antropólogo é alguém fascinado por culturas muito diferentes da sua. Não é o meu caso. A grande diferença nunca…

CRÓNICA, 21

O MAIS VERDADEIRO PERIGO Parece-me bastante desviado o “debate” sobre a liberdade de expressão ou a adequação dos modos de manifestação, debate esse que se seguiu aos protestos durante as últimas aparições públicas de Miguel Relvas. A assimetria de poder,…

CRÓNICA, 20

TER MUNDO Ter mundo não é ter vivido no estrangeiro – sobretudo desprezando a cultura local e alimentando saudades de bacalhau. Ter mundo não é ter viajado muito – sobretudo para colocar alfinetes no mapa ou roubar toalhas do resort….

CRÓNICA, 19

LOGO AGORA QUE Este texto é sobre a morte. Fujam os mais sensíveis. Não fujam os que percebem que a morte – como o amor – é o que nos faz ser o que somos, gente. Não há aqui lamúria,…

CRÓNICA, 18

DA BOA – E DA MÁ – EDUCAÇÃO O líder da principal central sindical portuguesa utiliza a expressão “escurinho” para descrever um dos membros do FMI que gerem a “crise” nacional. Imediatamente levantam-se vozes censurando o racismo implícito na afirmação….

CRÓNICA, 17

EXERCÍCIO DE AUTO-AJUDA PARA O ANO NOVOImagine por um momento que o fim do ano é o fim da vida. Responda com um “sim” ou um “não” (o “talvez” não vale e o “ns/nr” é muito mau sinal) às seguintes…

CRÓNICA, 16

ISTO PODIA TER SIDO UM SÍTIO DECENTE Costumo dizer: este país tinha todas as condições para ser um lugar decente. Vejamos. Graças ao 25 de abril conseguimos coisas preciosas: voltar às fronteiras do país pequeno, sem o peso iníquo das…

CRÓNICA, 15

LISTEN, KIDDOS Listen, kiddos, descobri uma coisa que pode ser-vos útil. Descobri que mais difícil do que o coming out como gay é o coming out como… sénior (ai, os eufemismos). O coming out como gay é um processo de…

CRÓNICA 14

AS COISAS QUE ME IRRITAM NAS CONVENÇÕES DA ESQUERDA Digamos que sobre a direita está tudo dito. O verdadeiro desafio é criticarmos os nossos – e a nós mesmos. Na esquerda – whatever that means – há uma série de…

CRÓNICA, 13

MELHOR PARA MAIS GENTE E MAIS DEPRESSA Não consigo pensar em termos de utopias. Aliás, a palavra provoca-me urticária. Faz-me pensar em coisas dos anos sessenta, que geralmente me provocam um bocejo de enfado, ou em projetos revolucionários, homens novos…

CRÓNICA, 12

CRIME, QUAL CRISE Deixemos de lado os episódios de crise política – e foram tantos – no Portugal das últimas décadas. Deixemos de lado as turbulências do verão quente de 1975, a intervenção do FMI nos anos ’80, os escândalos…

CRÓNICA, 11

HÁ OUTRAS PALAVRAS? Estava eu a pensar sobre este assunto quando vi no Facebook uma referência ao mesmo, salvo erro feita por José Carlos Tavares. Refiro-me à linguagem e aos símbolos usados em muitos posts e ilustrações nas redes sociais e…

CRÓNICA, 10

REGRESSO AO COLÉGIO Há 25 anos que sou professor, em vários graus (e com algumas interrupções), na universidade. No início da minha carreira tinha turmas relativamente pequenas, compostas por jovens oriundos das classes média-alta e alta e de famílias com…

CRÓNICA, 9

A TEMPESTADE SIMBÓLICA Provavelmente mais grave do que a crise financeira (e tanto haveria a dizer sobre a sua definição, e sobre se é crise endógena ou crise imposta…) é a crise da democracia. Uma crise que resulta da ilusão…

CRÓNICA, 8

BEAUTIFUL BULLSHIT Sempre que ouvimos dizer “vive o presente”, “um dia de cada vez”, “vive cada dia como se fosse o último”, “hoje é o primeiro dia do resto da tua vida”, “o passado já lá vai” ou alguma frase…

CRÓNICA, 7

MURAL DA HISTÓRIA Quando era jovenzinho havia uma coisa chamada os pen pals. Amigos por correspondência, vá. Através de dicas de amigos, ou de anúncios em revistas, tomava-se contacto com umas associações ou empresas que providenciavam o serviço. Este consistia…

CRÓNICA, 6

JOANINHAS E MACAQUINHOS Conheci-a no autocarro. Sentada à minha frente, falava ao telemóvel. Bem-disposta e descontraída, relatava a alguém que tinha vendido um dos macaquinhos com defeito. A uma velhota, “que aquilo é mais para crianças e os velhotes nem…