Os Tempos Que Correm I

Cadê o ursinho? Parece que um homem deu uma estalada noutro no fim de um jogo de futebol. As redacções dividem-se: de um lado os partidários da continuação da linha “mãe possivelmente desnaturada”, do outro os da inovadora linha “homem…

Resposta, sem acrimónia, a este post: explica-se pela construção social do género, justamente. Do mesmo modo que violência sexual e homicídios (e sua distribuição por sexo) são factos sociais e não God-, perdão, Nature-given. Quanto à ideologia, é assim mesmo:…

Festival cuíere Começa já amanhã.

Pensar, dizer e fazer Não me é difícil imaginar que Nogueira Pinto possa estar escandalizada com as acusações de atitude discriminatória por ter sugerido o fim das “lojas de chineses” na Baixa e a criação de uma Chinatown. É perfeitamente…

To cry or not to cry Uma das mil tontices sobre o caso McCann tem a ver com chorarem ou não, manifestarem ou não “emoções”. Os vigilantes da cultura portuguesa acham que só as pessoas que gritam desesperadas em frente…

Definição de “Negócios Estrangeiros”: 1) Receber Mugabe;2) Não receber o Dalai Lama.

Cadê os comentários? Bem, continua a ser possível comentar depois de ter largado o Haloscan, mas é necessário clicar na hora em rodapé. Pequenos glitches temporários… Este blog espera, de qualquer modo, mudanças significativas lá para Outubro, pelo que não…

Femipost 1. Vale a pena ver Iron Jawed Angels, sobre a luta das sufragistas nos EUA por alturas da Primeira Grande Guerra. Não só, mas também por isto: é que as reacções de políticos conservadores, de políticos supostamente progressistas, de…

Rasca É sabido que quanto mais burocracia há, mais corrupção existe. De modo semelhante, quanto mais segredo há, mais há especulação, boato e fuga de informação. No caso McCann as televisões portuguesas recorrem a um ror de “especialistas”, quase todos…

E se arguissemos o sistema? O mais chocante no caso Maddie é a confirmação de uma velha suspeita: que o sistema policial e judicial português funciona ainda com a cultura profunda da ditadura – nem os sentimentos ou a reputação…

Então e “bebemos as suas palavras” ou “uma enorma paz invadiu-nos”? «Neste lugar encantado, a esta hora sagrada, o Rinpoche falou pausadamente, para dar tempo ao tradutor mas, também, para ajudar a interiorizar os seus ensinamentos. (…) O mestre usou…

Ehr-gwee-duh «She will be declared an “arguida” – someone who has not been arrested or charged but is being treated by police as more than a witness.» Visto através de olhos anglo-americanos, esta coisa de “arguido/a” soa a requinte papista….

Contrafeito Como dizem Miguel Clara Vasconcelos e Nuno Morão em Estrume, «a imitação é melhor que o original». A frase surgiu-me quando via uma notícia num telejornal sobre o compromisso do governo chinês com o “combate à falsificação”. É pena….

Faça o seu jogador Graças a um sobrinho, descobri que há um jogo de futebol da Play Station em que se pode construir os jogadores. Escolhe-se o tipo de corpo, de “magro” a “entroncado”, a altura e o peso; escolhe-se…

Descobri outro dia, via infantil, que há um jogo de futebol da Play Station em que se pode construir os jogadores. Vai-se escolhendo tudo: altura, peso, “tipo de corpo” (“magro”, “entroncado”…), etc. Uns cursores ajudam a ajustar vários traços: desde…

Outra vez “A Educação” Desde que “sou gente” (um acontecimento que se deu ali por alturas do pós-25 de Abril…) que me lembro de as coisas serem assim. Sucessivos ministros e ministras da educação e sucessivos dirigentes sindicais dos professores…

E pronto… …acabou-se o que era doce.

Despedimo-nos de Eduardo Prado Coelho. Com justeza, o jornal onde escrevia classificou-o como intelectual público. Fazem falta pessoas assim. E o intelectual público não é uma figura do século XX, condenada ao desaparecimento no XXI, como alguns pensam. Nem tão-pouco…

Literatura lgbt De parabéns o suplemento Ípsilon do Público, com o dossiê de Isabel Coutinho sobre literatura lgbt. Embora na capa se fale do meu outing em vez do meu coming out (coisas bem diferentes), e seja referido como “sociólogo”…

Correio da Manha Este post do Renas é bem mais importante do que pode parecer à primeira leitura. É uma prova cabal da mentira propositada em jornalismo. No caso (e talvez não por acaso), no Correio da Manhã. (Nota: é…